logo.png
  • Matheus F.

Umbrella - Brasil - 2020


Com uma inesperada grata surpresa, grata mesmo, o Brasil tenta mais uma vez seu lugar nessa temporada de premiações, agora apostando nos curtas de animação. E olha... tem chance, viu?

Umbrella em seus curtos 7 minutinhos conta-nos através de um storytelling sem a presença de diálogos, um episódico dia na vida de um garotinho refugiado vivendo em um lar para crianças, quando se envolve em uma pequena confusão ao pegar, sem que a dona veja, um guarda-chuva amarelo escondido. Fazendo-o relembrar, em um pequeno flashback, como acabou naquele orfanato.

É muito comum que alguns aspectos artísticos e de construção da animação deixem de aparecer ou sejam suprimidos devido ao corpus reduzido que os curtas proporcionam, porém o que se apresenta aqui são ótimas modelagens e movimentações, com destaque para as expressões e rostos dos personagens que passam verossimilhança apesar de sua anatomia. A narrativa, por sua vez, ocupa bem o tempo proposto. Transpondo seu plot principal de maneira fluida, sem exageros e com um ritmo que corrobora bastante com o drama que é apresentado.

Com um enredo bastante comovente e sensível apesar do tema não pautar as discussões nacionais, ao menos não de forma enérgica, o Brasil certamente tem seu lugar ao sol com Umbrella. Uma excelente animação que volta seu olhar, em tempos de pandemia, para diferentes questões, numa tentativa bem certeira de buscar inspirações outras, mas ainda muito bem carregadas de humanidade.

Vale muito!