logo.png
  • Fábio Ruiz

Memoria - Colombia - 2021


#Memoria encontra Jessica, uma escocesa em Medellin, que houve um ruído estranho e ao investigá-lo depara-se com memórias latentes que passam no inconsciente coletivo compartilhado por alguns. O texto falha ao criar semânticas que substanciem o final, tornando-se desconexo e enfadonho. Sem grandes evoluções na dramaturgia, e sem nexos causais, a direção conta com a poderosa atuação de Tilda Swinton, que, mal ou bem, consegue granjear alguns louros para não sair antes da projeção terminar ou não interromper a visualização em alguma plataforma. O final não explica ou justifica a trajetória, e, apesar a conceder algum significado, esse já se perdeu ao longo do roteiro. Tilda faz um ótimo trabalho, com um texto um tanto excêntrico, a direção é boa, a fotografia é ótima, o elenco colombiano, excelente, mas o filme não contagia, ou constitui uma espinha dorsal interessante que valha seguir. O candidato colombiano ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro não apresenta elementos em sua dramaturgia ou apelos sociais que justifiquem uma indicação.