logo.png
  • Fábio Ruiz

A Gruta – Brasil – 2020


A Gruta, escrito e dirigido por Arthur Vinciprova, é um completo equívoco. O texto é totalmente incoerente, resultando em uma narrativa inverossímil, desprovida de sentidos, mesmo na sobrenaturalidade, com cenas grotescas e apelativas, que tornam a experiência “de cinema” completamente desagradável, quando deveria surtir o efeito contrário. Difícil compreender os critérios de seleção da Amazon Prime para disponibilizar uma obra tão desqualificada em sua plataforma.

A direção é amadora e reforça demasiadamente as incoerências do texto, e não possibilita qualquer atuação que valha mencionar, nem mesmo a de Carolina Ferraz, nome forte do elenco. Arthur Vinciprova tem performance medíocre, mas as outras, todas, não ficam muito atrás. Há diversos problemas de captação de som, e a sonoplastia contribui muito para tirar a credibilidade do texto. A edição é fraca, idem maquilagem, figurinos e cenários.

Uma obra desnecessária é o que traz o filme #AGruta, que padece da arrogância de muitos que, sem muita experiência, acreditam poder roteirizar, dirigir e atuar em suas “obras”. Uma lástima.





TRAILER