logo.png
  • Cardoso Júnior

Indústria Americana-EUA-2020

Atualizado: 13 de Out de 2020


O documentário finalista no Oscar 2029 focado na Fuyao (empresa chinesa fabricantes de vidros automobilísticos), que adentra território americano para montar sua grande fábrica, a produção da Netflix aborda tantos assuntos ao mesmo tempo que fica maçante acompanhá-la em suas quase duas horas de duração.


Primeiro, e levemente interessante, vem a apresentação da integração dos funcionários ultrapassando as barreiras linguísticas para, pouco depois, focar nas contendas culturais entre americanos e chineses por conta da morosidade dos primeiros e da dedicação quase escrava dos segundos.

Na sequência, o roteiro desvia-se para a vertente da composição de um sindicato que represente ou não os trabalhadores americanos (algo impensável para chineses), mas abre o foco novamente para uma viagem de representantes americanos para a sede da empresa na china e a constatação da enorme carga horária de trabalho dos funcionários locais.

Não obstante, a narrativa ainda abre brecha para apontar, de forma abrupta, o tema da troca da mão de obra humana por maquinas inteligentes que, sem dúvida, é questão preocupante para qualquer operário que trabalhe em linha de montagem.

Assim, com temas muito interessantes abordados, #IndústriaAmericana faz um genial e inteligentíssimo paralelo sobre liberdade e escravidão sem se posicionar a favor ou contra A ou B,, mas alertando o mundo e as pessoas inteligentes sobre o enorme perigo que representa a ‘mentalidade” trabalhista de um povo robotizado pelo sistema socialista e, certamente, surpreenderá na temporada de premiações.

Vale cada minuto de comprovações.




TRAILER

#Documentário #Oscar2020 #EUA #Análise