logo.png
  • Fábio Ruiz

Toy Story 4 – EUA – 2019

Atualizado: Ago 8


O quarto filme da saga de Woody e Buzz Lightyear encontra os brinquedos ainda com Andy, quando sua irmã mais nova se desfaz de Bo Peep, com seus carneiros e abajur, deixando Woody, seu flerte, com a difícil escolha entre ir com ela, ou ficar com o menino, quando esse aparece o procurando, fazendo-o desistir da fuga. Nove anos depois, agora com Bonnie, para quem Andy os deu, Woody, junto com seus amigos, enfrentará situações que o forçarão a rever sua decisão de abandonar Bo.

O roteiro de Andrew Stanton e Stephany Folsom traz uma nova ordem estabelecida entre os brinquedos. Woody não é o predileto de Bonnie, nem um de seus preferidos, mas não abrem mão de seu protagonismo, pois o boneco assume a responsabilidade de garantir o bem-estar da menina, especialmente, quando ela vai pela primeira vez à escola, onde ela faz um novo brinquedo Forky, de um garfo plástico, que a ajuda em sua coragem. Em uma aventura simples, o texto trata das questões de autoconfiança, amizade, o dilema entre responsabilidade e individualismo, quando e como balancear essas idiossincrasias humanas, autoestima, na figura da boneca Gabby, identidade, na de Forky, que não se percebe como brinquedo, mas como lixo, e fortalece as personagens femininas como a frágil Bo, e a Jesse, movendo-as de seus estereótipos. Apesar de não ser a melhor história do grupo, mantém o padrão fílmico das outras, prendendo a atenção com novas, interessantes e até engraçadas personagens, e com muita ação e comédia.

Direção e demais critérios técnicos são impecáveis como sempre, maior destaque para o refino da animação, que do primeiro para esse último dá um salto considerável, mantendo e elevando o padrão Disney-Pixar. Um filme para todas as idades, com um toque sentimentalíssimo em um final surpreendente. Obrigado, Woody!

Em cartaz. #Disney #WaltDisneyPictures #Pixar

TRAILER

#Animação #EUA #AméricadoNorte #Análise