• Fábio Ruiz.

A Noite do Jogo – EUA – 2018


Uma comédia de absurdos é o que nos apresenta A Noite do Jogo, dirigido por John Francis Daley e Jonathan Goldstein, escritores de Quero Matar o Meu Chefe, e, também, estrelado por Jason Bateman, acerca de um casal reunido em uma competição e unidos em matrimônio pela competitividade.

O roteiro explora muito bem a cômica e tênue linha que separa a verossimilhança e o absurdo e apresenta diversas reviravoltas interessantes e até uma pseudo-reviravolta, autocriticando o estilo apresentado. A direção é muito oportuna, escolhendo tomadas que acentuam a comicidade e a ação, vide a cena em que a personagem Ryan rouba um ovo de um cofre em meio a um confronto de um clube de luta ilícito.

Jason Bateman e Rachel McAdams apresentam boa química pilhérica e Billy Magnussen se destaca como o estúpido Ryan. O resto do elenco é competente e a presença de Michael C. Hall, sempre ótimo, na segunda parte da trama, renova o seu fôlego. O filme é muito bem produzido, com ótimas fotografia, edição, música e arte, mas sem distinções.

Situações absurdas e muitas gargalhadas é certo encontrar em A Noite do Jogo, um filme comprometido em divertir com cenas, diálogos e piadas sagazes que garantem o entretenimento. Uma divertidíssima opção.

PS: Em cartaz.

TRAILER

#Hollywood #Análise

0 visualização