logo.png
  • Cardoso Júnior

99 Casas - EUA-2015

Atualizado: 17 de Ago de 2020


Tendo feito parte dos competidores pelo Leão de Ouro/ Veneza/2016, e do Globo de Ouro, este drama ficcional, embora inspirado em fatos reais, tem seu mote no início da bolha imobiliária de 2008, onde milhares de pessoas perderam suas casas e empregos nos EUA.

Eis um drama - denuncia contundente com forte carga emocional, narrado de forma linear que vai muito além das cruéis e incômodas cenas de despejos registradas com câmera de mão que provocam maior proximidade e maior desconforto para o expectador e, que ainda transita por questões de moral, ética e sobrevivência de forma inovadora e assustadora.

Para sustentar uma proposta cinematográfica tão audaciosa quanto verossímil, a atuação de Michael Shannon (de novo ele), é fulcral para a narrativa tornar-se crível e mais incômoda ainda na medida em que, desdobra-se para vertentes importantes amparada pela atuação madura e convincente de Andrew Garfield (O Espetacular Homem-Aranha 2).

Se o mote é o endividamento das pessoas, e o desdobramento tangencia as grandes corporações, (ler bancos), que através das leis e da corrupção lucram milhões com a desgraça dos pequenos, o cerne, brilhantemente, foca questões de conflitos morais bem atuais.

Será que é lícito você negociar sua alma com o diabo se ele lhe acenar com a sobrevivência no meio da tempestade? Sim ou não? Quais seriam as conseqüências disso?

Nada em “99 Homes” é sutil, suave ou amenizado e o pico de tensão é magistralmente bem construído pela direção, através dos mais que interessantes diálogos, edição e trilha, mantendo-se constante da primeira cena à última, configurando-se em um Thriller mais que original.

99 Casas é o tipo de trabalho que não se encerra nos créditos, pois é impossível se desvencilhar facilmente da questão: O que eu faria no lugar dele?

TRAILER

#Hollywood #Análise