logo.png
  • Cardoso Júnior

O Som ao Redor - Brasil - 2012

Atualizado: Ago 10


É no mínimo incongruente que um filme com uma proposta de desenho de som tão original peque tão escandalosamente no som dos diálogos, muitos incompreensíveis, prejudicados também por uma dicção inaudível de alguns atores em muitos momentos.

Há nele um excesso de cenas desnecessárias, uma sobre camada de tramas bem intencionadas, mas nunca aprofundadas e, um elenco apático; tudo se arrasta até o clímax, no último minuto e, ainda, previsível.


O som pode até ser um ponto alto, mas o ritmo destrói o primeiro diante da dificuldade de prender a atenção nas simpáticas sub tramas. Porém, esse marasmo cênico irá conquistar plateias menos exigentes através da empatia do comum.

Rostos comuns, situações comuns, azulejos comuns, portarias comuns, uma rua comum, uma cidade comum. É exatamente ai que mora o perigo de se transformar, e se transformará, em um surto de ufanismo patrioteiro.


No entanto, há méritos no retrato perfeito da classe média, numa implícita e indefinida ameaça pairando no entorno da trama e, ou, em todos nós na medida da identificação.

Sem dúvida tem uma assinatura definida, será visto, propalado porque melhorou muito, mas ainda está só ao redor de ser ótimo.

TRAILER

#Brasil #Análise