logo.png
  • Cardoso Júnior

Seu nome Gravado em mim – Taiwan – 2020



Tendo sido enorme sucesso de bilheteria em Taiwan e na Ásia, no ano passado, lançado após o país se tornar o primeiro a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo no continente, essa fábula com ares de memórias de um período onde a lei marcial acabara de ser abolida, mas que ainda reflete uma sociedade rígida, repleta de tabus e preconceitos, centra-se em 1987 para narrar os feitos e efeitos emocionais de um amor adolescente.

Ok que os clichês do gênero estejam todos reunidos na estória, porém o paciente estudo sobre as manifestações dos desejos em um cenário adverso onde o “se reconhecer” dentro de uma escola tradicional, católica e com educação quase militar, seja extremamente perigoso, confere a narrativa uma exploração cadenciada através de gestos e atitudes de afeto mutuo que camuflam e disfarçam em amizade a essência de sentimentos muito mais profundos e reprimidos dentro de um paiol de testosterona.

Tanto direção quanto roteiro seguem uma linha delicada entre o explícito e o evasivo explorando com muita dramaticidade vários momentos sensuais em que o erotismo transborda, porém, sempre trilhando uma estética elegante e comportada entre tomadas que misturam o inequívoco com o indistinto enquanto trabalha com belos planos, fotografia equilibrada entre tons naturais e artificiais, ótima trilha sonora e exímia mixagem de som.

Mesmo com sinceras interpretações, a evolução narrativa peca pela instabilidade inserindo desnecessariamente uma profusão de locações e a edição, muita das vezes abrupta, carece de maior suavidade para que interessantes discursões sobre amor e fé e as referências político- culturais não se esvaziem em troca de um tempo de tela necessário para criar um salto para futuro que muito pouco acrescenta ao contexto de #YourNameEngravedHerein.



Ps: Disponível em streaming;

TRAILER: