logo.png
  • Fábio Ruiz

7500 – Alemanha – 2019



#7500 é um filme de suspense e ação que foge aos grandes estereótipos do gênero, tal descaracterização será o seu maior trunfo ou o seu maior percalço, dependendo dos anseios de seus espectadores. Os fãs ávidos dos gêneros se decepcionarão pois não há heroísmo ou vilanias absolutas, mas seres humanos que reagem de acordo com suas conjecturas e conforme as circunstâncias se apresentam.


O texto, quase todo passado dentro da cabine de controle de um avião sequestrado por terroristas islâmicos, é bastante verossímil em relação aos fatos, e, apesar do ritmo alucinante, consegue construir personagens bastante consubstanciadas. Aqueles que superarem o herói atípico, acompanharão a trajetória de Tobias Ellis durante o sequestro, que se conclui também sem cenas impactantes, mas como um, muito possivelmente, terminaria na vida real. Apesar de pasteurizado, Tobias é um herói, e a cena final de uma crueza e humanidade incríveis.


A direção de Patrick Vollrath é excelente, potencializando planos diferenciados do confinamento, e explorando reações do piloto ao que se passa na cabine do avião, além do controle. Joseph Gordon-Levitt, em atuação brilhante, cria uma personagem verossímil, que mensura suas opções a cada segundo antes de agir, assim como faria um refém que consegue manter o controle em situação de cárcere, e reage ao mundo externo com bastante contundência. A fotografia é excelente, inclusive aquela das câmeras de segurança, música, edição e arte são muito boas.


7500, um filme de ação descaracterizado e humanizado, que não apresenta personagens ou cenas estereotipadas, mas, ainda assim, eletrizante, apesar da desaceleração no quarto final. Vale assistir.


#AmazonStudios