logo.png
  • Fábio Ruiz

Entre Facas E Segredos – EUA – 2019

Atualizado: Ago 20


#EntreFacasESegredos, escrito e dirigido por Rian Johnson, do desastroso último episódio da saga Star Wars, é a sua remição. O texto, no estilo mais tradicional de romances no estilo “Quem fez?” ou “Quem Matou?”, popularizado por Arthur Conan Doyle, com sua personagem ícone, Sherlock Holmes, e Agatha Christie, com Hercule Poirot e Miss Marple, possui todos os elementos peculiares ao suspense, um crime onde todos são suspeitos, personagens um tanto exóticas que tangenciam a fronteira da similitude, sem nunca a romper, motivações críveis para todos os envolvidos, comicidade incutida no suspense, “elementar meu caro Watson”, e, principalmente, muitas voltas e reviravoltas surpreendentes. Rian cria personagens interessantíssimas, singulares, e limítrofes da veracidade e as coloca em situações tão bizarras, únicas e engraçadas, alternando o foco das suspeitas com maestria, dentro de um cenário mais típico impossível, uma isolada mansão centenária, repleta de antiguidades, e com dois cães de guarda. O roteiro gira em torno do suposto assassinato de Harlan Trombley, escritor famoso, milionário e patriarca do clã Trombley, em torno do qual todos orbitam de alguma forma, investigado pelo detetive ímpar Benoit Blanc.


A direção, muito boa, explora muito bem as idiossincrasias do gênero, coordenando muito bem as áreas técnicas, especialmente, cenários e figurinos, para construir uma trama elaborada, além de conduzir com mãos firmes um grande e proeminente elenco. Dito isso, Daniel Craig, ótimo, constrói um detetive singular, dentro dos parâmetros estilísticos desejados. Ana de Armas, excelente, cria uma personagem dúbia, com características bizarras, sem comprometer sua veracidade. Chris Evans rompe o estigma do Capitão América, em personagem sorrateira, Christopher Plummer, sempre maravilhoso, entrega personagem diferenciada, excêntrica, namorando com a inverosimilhança, sem nunca ultrapassá-la, como fazem Toni Colette, Jamie Lee Curtis, Michael Shannon, Jaeden Martell, ilário, Katherine Langford, Don Johnson e K Callan, entre outros. A música, excelente, corrobora o suspense e as tonalidades cômicas, o mesmo faz a arte, e edição e fotografia são, igualmente, ótimas. Um filme no melhor estilo de suspense, uma homenagem a autores do segmento, como Doyle e Christie, com uma característica trama muito bem bolada, costurada e com reviravoltas incríveis é o que traz o delicioso e remissivo #KnivesOut, que reabilita Johnson no mercado cinematográfico, após o desastre com o Star Wars: Os Últimos Jedi. Merecidamente indicado a três Globo de Ouro, vale muitíssimo assistir. Em cartaz.

TRAILER

#Análise #EUA #2019

#ParisFilmes #LionsGate #MRC