logo.png
  • Cardoso Júnior

A Grande Jogada- EUA-2017

Atualizado: Ago 18


Baseado no livro “Molly´s Game”, indicado a melhor roteiro adaptado no Oscar 2018, estréia na direção do roteirista Aaron Sorkin e com a magnífica Jessica Chastain como locomotiva, não há como não se interessar e assistir certo de estar diante de uma reunião de talentos genuínos. Ok, que Sorkin abusa do direito de acelerar os diálogos a uma velocidade tal que chega, em alguns momentos, ficar impossível de acompanhá-los na íntegra exigindo uma atenção enorme neles, até porque são repletos de informações muito significativas para o enredo e isso pode e cansa muito rapidamente o expectador menos afeito a leitura dinâmica repleta de jargões. Ok também que o tema seja bastante restrito a um universo específico de “entendedores” ou amantes de pôquer, mas o fato é que, superadas tais dificuldades, estamos diante de um thriller criminal elétrico, dramático, muito dinâmico que nos envolve a despeito das características citadas acima e, muito por conta do magnetismo e força da protagonista deslumbrantemente interpretada por Chastain, e pela gama de personagens repletos de humanidade, mas com falhas expostas em busca de redenções. Brincando com a cronologia dos fatos reais, saltando de um boteco para suítes presidenciais com a presença de várias celebridades mundiais sempre em volta de mesas de pôquer analisa, ainda que tangencialmente, a questão do empoderamento feminino e até uma concreta investigação do FBI, com ótima e dinâmica fotografia, trilha e figurinos e, mesmo com nítidos problemas no roteiro e um tamanho que poderia ser encurtado, é a apresentação de um trabalho complexo que merece ser apreciado pela eletricidade crescente entre a tríade de atores com impressionante destaque pra força dramática de uma das maiores atrizes da atualidade. PS: Estréia nos cinemas nacionais em: 01/02/18

TRAILER

#Oscar2018 #Análise #Hollywood