logo.png
  • Fábio Ruiz

Thelma - Noruega – 2017

Atualizado: Ago 4


Um lago congelado, uma menina, um pai, um cervo, uma arma, uma situação misteriosa, Thelma, o título: começa assim a trama do candidato norueguês a uma indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro. A jovem mulher, na qual a menina se transformou, ao sair da casa isolada para estudar na cidade grande se deparará com mistérios que terá que desvelar e conviver. Thelma, ao passar a relacionar-se com jovens da sua idade, é confrontada com novas realidades, experiências e desejos que acabam por despertar algo dentro de si que há muito havia sido adormecido. Criada em uma família ultracristã, dilemas como o uso de bebidas alcoólicas e drogas tornam-se mais contundentes e encontrar-se atraída por uma jovem, ainda muito mais. No turbilhão de suas dicotomias, Thelma surta, e, durante seus surtos, coisas bizarras acontecem, moldando os mistérios a descobrir. O roteiro é inteligente revelando aos poucos elementos do passado, em “flashback”, que ajudarão Thelma e o espectador a entender suas novas e estranhas experiências. O clima é tenso e as cenas, apesar de não serem horripilantes, são agoniantes e assustadoras. Contudo, a trama perde um pouco de sua força, do meio para o final, quando Thelma confronta seus pais. A direção é muito feliz em suas escolhas nos presenteando com cenas belíssimas, como a de Thelma presa na piscina ou a cena inicial no lago. Eili Harboe, a protagonista, está excelente em um papel dificílimo. Kaya Wilkins, a Anja, a paixão de Thelma, tem boa atuação, assim como Henrik Rafaelsen e Ellen Dorrit Petersen, seus pais. A fotografia é muito boa e a música peca por antecipar tensões começando alguns milissegundos antes de onde seria mais interessante e assustador. A edição, arte e demais critérios técnicos são eficientes. Thelma é, acima de tudo, um filme de mistério ímpar e apresenta diversas simbologias e metáforas que estão embebidas nos seus mistérios. Cabe aos espectadores percebê-las e interpretá-las, mas, para isso, precisarão estar a atentos a todas as imagens que lhes são mostradas. Não perca.

TRAILER



#Europa #analise #Análise #Oscar2018