logo.png
  • Cardoso Júnior

Babel- EUA-2006

Atualizado: Jul 27


Se um acidente automobilístico foi o mote conectivo de “Amores Brutos”, um tiro inocente faz todas as conexões em Babel interligando, desta vez, vidas e personagens geograficamente equidistantes. Mais uma vez, a parceria Iñaritu e Guillermo Ariaga, parte de um fato isolado e longínquo como liga estrutural de quatro núcleos distintos para falar sobre um mundo globalizado desprovido de reais comunicações entre pessoas.

Por certo é seu trabalho mais abrangente e contundente uma vez que discorre sobre a dicotomia entre a sociedade moderna provida de tantos meios de comunicação e, cada vez mais com dificuldade em exercê-la. Mais uma vez e agora de maneira global, investe na “teoria dos seis graus de separação”, e na frágil linha do destino promovendo conexões humanas improváveis montando um papel analítico da contemporaneidade. Mantendo um tom a beira do angustiante, retoma a questão de classes sociais abordado a insegurança causadora de desconfianças que geram o caótico mundo civilizado, mas não muito mais evoluído que nos tempos da lendária construção da torre de Babel. Com fortes apontamentos para a atual tendência da valorização material em uma sociedade capitalista nada igualitária regida por uma pseudo-democracia do caos que a sustenta frente a derrocada das comunicações. Estejamos no México, ou no Marrocos ou mesmo em Tóquio, uma ação, uma decisão pode acarretar conseqüências impensáveis não apenas para pessoas próximas, mas para a sociedade como um todo.

Metafisicamente político, pelo trânsito nas etnias, costumes e núcleos familiares díspares, usa a análise das perdas registradas, mais uma vez, com sua “câmera manual”, sua estética peculiar e genuína fechando de forma magnífica sua visão sobre os efeitos do imponderável na vida de cada um de nós; cidadãos que somos do imperialismo cosmopolita da ruída estrutura e da densa atmosfera de um planeta chamado Babel. Talvez seja um dos mais brilhantes fechamentos de uma trilogia do cinema, que nasceu num...por acaso.

TRAILER

#AméricadoNorte #Análise

0 visualização