logo.png
  • Matheus F.

Para Gerard - EUA - 2020

Atualizado: Mar 9


É gratificante poder assistir e reconhecer quando trabalhos cinematográficos, de quaisquer que sejam os gêneros e estilos, são construídos a partir de um cerne sólido, de algo que vai além do bom, algo pessoal.


É então que o mais recente curta animado da DreamWorks, em seu programa DreamWorks Shorts criado em 2017, se estabelece como essa máxima, de trazer a experiência pessoal e o sonho para dentro, até mesmo, de pequenos projetos.

“To Gerard” conta a história de um funcionário dos correios que sonha em encontrar seu público como um mágico famoso, assim como seu ídolo de infância. Treinando sempre que possível suas habilidades com uma moeda especial, dada como presente pelo Grande VIvonti, seu ídolo mágico.

Quando conhece por acidente uma jovenzinha chamada Jules, encontra a oportunidade que precisava de mostrar seus talentos e destreza, mesmo que de forma improvisada, para sua primeira plateia, sem saber, no entanto, que seu pequeno espetáculo mudaria a vida de ambos para sempre.

A experiência pessoal ecoa aqui através de seu diretor, Taylor Meacham, que da mesma forma que Gerard, sonhou quando pequeno em também ser um grande mágico.

Na parte técnica nada de muito especial ou de inovador, o que não significa dizer que temos animações e modelagens de má qualidade, na verdade muitíssimo pelo contrário já que estamos falando da DreamWorks. Com um molde facial e movimentos bem característicos e já conhecidos de outras animações, o curta brilha em sua estética e riqueza de detalhes que podem, aos menos atentos, passar desapercebido. Com um foco na iluminação que se apresenta delicada em determinados momentos, juntamente os sons e a pouca dublagem formam um conjunto sensível e nada previsível!

Talvez estejamos entrando em um momento em que para que grandes histórias como essa sejam criadas, haja a necessidade de um comprometimento pessoal. Não que grandes animações com grandes e marcantes histórias devam ser fruto e produto de experiências pessoais vividas por seus responsáveis, mas que talvez, e só talvez mesmo, me considerando um palpiteiro de mão cheia, essas extraordinárias experiências só são possíveis quando criadas, desenvolvidas e compartilhadas através de alguém que ama o que faz.


E não talvez, mas com certeza, esse seja o caso por aqui!




TRAILER