logo.png
  • Cardoso Júnior

A Casa Gucci

Atualizado: 6 de fev.



Fazer um filme onde a maioria das pessoas conhece o final, pode, quando muito, despertar interesse pelo como aconteceu e pouco mais.

Ridley Scott aposta duas horas e quarenta minutos na biografia de Patrizia Reggiani Gucci e seu casamento com Mauricio Gucci percorrendo três décadas, a partir de 1970, para construir uma história de que mistura ganância, poder, riqueza, e traições com apenas cinco personagens em destaque em um mundo italiano que, pasmem, o machismo impera e as mulheres são relegadas a último plano, com exceção, óbvio, da protagonista.


Para trazer este drama familiar às telas, Scott utiliza-se de três atos sequenciais onde algumas pitadas de leveza, quase comédia jogam por terra o pico de tensão, enquanto busca enriquecer o trabalho com belas locações, estupendos figurinos e cenografia requintada.


Com elenco estelar onde todos brilham, claro que o destaque vai para Gaga que, se ainda não é uma atriz estupenda deixa claro que se empenha ao máximo para sê-la e está nitidamente em um bom caminho.


O que empobrece levemente a produção é o tom melodramático e a aparência de minissérie e, sem dúvida alguma, o anticlímax do final.

Mas vale ver pra se distrair.