logo.png
  • Fábio Ruiz

A Luz No Fim Do Mundo– EUA – 2019

Atualizado: Ago 19


Escrito e dirigido por Casey Affleck,#ALuzNoFimDoMundo, encontra Rag e seu pai, em um mundo onde as mulheres pereceram da “peste feminina”, e onde Rag, uma menina de dez anos, imune à doença, é uma rara exceção.


O roteiro de Casey Affleck encontra ambos nômades, vivendo em florestas, na maior parte, e adaptados a um modo de vida e de operação, que denota suas difíceis trajetórias até aquele momento, e, com um ritmo preciso, revela em flashbacks as memórias do pai, de quando a mãe ainda vivia, e através de elementos cênicos, os fatos que os colocaram naquela situação. Com um ritmo que tangencia o moroso, sem nunca o ser, o texto mantém a atenção com tensões reais e psicológicas, habilmente valorizadas pela direção, também de Affleck, e expõe questões plausíveis em cenário hipotético, que colocam a humanidade em xeque. Impressiona como o texto, sem pieguices ou frivolidades, aborda tópicos extremamente relevantes, mesmo em nossa realidade e evolui e transforma as personagens conforme percorrem suas trajetórias. O final é surpreendente e, apesar de aberto, concluí satisfatoriamente a história, valorizando ainda mais o roteiro.


A direção de Affleck é excelente, e explora muito bem os conflitos do texto, bem como a música, que, solene e dura, aumenta demais as tensões cênicas, presente ou não. Affleck e Anna Pniowsky, excelentes e com forte química, fazem a estória funcionar, com o entendimento exato dos conflitos e do que está em jogo em todas as cenas, transformando suas personagens ao longo do caminho, vê-se, nitidamente, duas completamente diferentes, ao final, daquelas que se viu no início. Elisabeth Moss, sempre em flashbacks, impressiona por tudo que agrega à personagem com quase nenhuma fala, mas com expressões e movimentos repletos de significações e mensagens. Fotografia, arte e edição são ótimas.


Um filme, para audiências que buscam textos mais relevantes, um tanto difícil, e que revela um talentoso Casey Affleck, que, onde outros tantos fracassaram, acumulando direção, roteiro e atuação, é extremamente feliz. #LightOfMyLife, vale muito assistir.

TRAILER

#Hollywood2019 #Análise