logo.png
  • Fábio Ruiz

Jumanji – EUA – 2017

Atualizado: Ago 18


A tão esperada continuação ao filme de 1995, com Robin Williams e Kirsten Dunst, chega finalmente à tela grande, vinte e dois anos depois do original, baseado no livro ilustrado de mesmo nome lançado em 1981. Burburinhos houve desde o grande sucesso do primeiro filme, mas somente agora essa entra em cartaz. Com o subtítulo de Bem-Vindo à Selva, o filme começa em 1996, um ano após o lançamento do original, quando o tabuleiro é encontrado na praia por um adolescente, que demonstra total desinteresse no achado, devido ao florescer dos videogames. Percebendo-se obsoleto, o jogo de tabuleiro se atualiza em um jogo eletrônico, que imediatamente cativa o adolescente e o faz cativo ao jogá-lo. Vinte anos depois, quatro adolescentes cumprindo castigo na escola, o encontram no porão que deveriam limpar e são também capturados dando início à aventura eletrônica na selva. O roteiro se diferencia do original, quando transpõe os quatro nas personagens (avatares) que escolheram ao jogar, que ganham vida nas peles de Dwayne Johnson, o Spencer, Jack Black, a Bethany, Karen Gillian, a Martha e Kevin Hart, o Fridge. A transposição, por si só, adiciona comédia à trama, quando a super-patricinha se transforma no gorducho-feioso Black, a adolescente insegura na atlética e bela Gillian. o jogador de futebol americano no nanico Hart, e o nerd mirrado no fortão e gigantesco Dwayne Johnson. Contudo, onde o primeiro traz conflitos familiares mais profundos e mensagens mais relevantes, o atual é, basicamente, desprovido dos primeiros e superficial nas segundas. O filme traz um tom atabalhoado que faz lembrar os filmes dos Trapalhões e talvez aí resida o mérito que faz levar multidões ao cinema. Até o momento, já arrecadou, somente nos EUA, 317 milhões de dólares. A direção é competente no segmento em que a obra se insere e o elenco também. Dwayne Johnson, apesar de não ser um grande ator, é carismático e transparece uma doçura, talvez inata, no corpo de um brutamontes, alcançando a comicidade que tanto agrada às crianças. É impossível não gostar dele, explicando porque é o mais bem pago na indústria. Jack Black é um excelente ator cômico e junto com Karen Gillian conseguem emplacar diversas cenas engraçadas. O resto do elenco é muito bom para filmes do tipo. Jumanji possui todos os elementos para uma boa diversão, é engraçado, tem ação, efeitos especiais excelentes, uma produção cuidadosa e custosa e uma ingenuidade que cativa a todos. Contudo, filmes como esses deveriam ser contrabalançados com outros de arte, para que as crianças entrem em contato com algo mais valoroso, mas o entretenimento é certo. Assista.

TRAILER



#Hollywood #Análise