London Spy – Inglaterra -2016

29 Dec 2018

 

A minissérie da BBC, com apenas cinco episódios de 1h, parte de um relacionamento homossexual para um thriller de suspense, espionagem e uma estória de amor com mentiras e verdades, totalmente inusitado, escapando de forma inteligente de um gênero com formato já delimitado e até mesmo batido, mas ainda assim, mantém a atmosfera de suspenses com muitas reviravoltas até a cena final.

Indicada ao British Academy Film Awards e uma das séries mais badaladas na Europa na época do lançamento, criada pelo premiado escritor britânico Tom Rob Smith ("A Criança Nº 44"), que andou disponível na Netflix por algum tempo, tem no seu argumento personagens complexos que a narrativa calma (para um seriado), não teme em se aprofundar e explorar seus mais íntimos sentimentos através de diálogos muito inteligentes e uma fotografia panorâmica ou minimalista que leva o expectador a vivenciar emocionalmente os intrincados dramas de todos os personagens. Ok, existem algumas poucas pontas soltas que apelam pra boa vontade do espectador, mas não chegam a comprometer o todo.

 

Com elenco peso pesado com interpretações contundentes, tem no seu epicentro o inestimável Ben Wishaw num desempenho brilhante, a monstruosa Charlotte Rampling que rouba todas as cenas dos dois episódios que aparece e Jim Broadbent num papel de muito fôlego em meio a uma espiral paranoica com implicações pessoais e conspirações internacionais, focando muito mais nas questões humanas que nas costumeiras ações mirabolantes, perseguições estonteantes, lutas coreografadas ou tiroteios eletrizantes, configurando uma obra arrojada no gênero ao torná-lo inteiramente verossímil sem deslocar-se do mundo da espionagem.

 

Não, #LondonSpy não é uma estória gay como o primeiro episódio  pode levar a pensar, pois tanto o roteiro como a direção de Jakob Verbruggen ( O Alienista), focam num drama contemporâneo sobre a fragilidade de vidas diante de verdades inconvenientes para os governos mundiais e, o quão árdua pode ser a jornada daqueles que, por um vislumbre do verdadeiro amor, vão contra todas as farsas e evidencias para mantê-lo incólume.  Sem, claro, desviar do cerne do título, mantendo seu ritmo, sua unidade narrativa seja na confecção dos mistérios, na manutenção do suspense do thriller, mas de uma forma convincente e repleta de sensibilidades.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

© 2018 por ACADEMIA DE CINEMA. Criado por Matheus Fonseca, todos os direitos reservados.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram-v051916_200

CURTA-NOS NO FACEBOOK