A Sociedade Literária e A Torta de Casca de Batata – Inglaterra – 2018

23 Aug 2018

 

 

1946, Juliet Ashton é uma escritora inglesa, que escreve sob um pseudônimo masculino, e, aparentemente, recupera-se das consequências da Segunda Guerra Mundial, mas quando recebe uma carta de um desconhecido endereçada ao seu antigo apartamento, destruído em um bombardeio alemão, novas perspectivas a apresentarão caminhos mais salutares daqueles em que se encontra.

 

O roteiro de Don Roos, Kevin Hood e Thomas Bezucha traz uma bela adaptação do livro homônimo de Mary Ann Shaffer e sua sobrinha Annie Barrows, e, no pós-guerra, quando os traumas não só eram latentes, mas ainda bem vivos, e as perspectivas de vida cobertas por suas sombras, conta a história de Juliet, que, rapidamente, percebemos ser um tanto insatisfeita com o seu destino e seus prospectos, mas quando recebe uma carta de Dawsey Adams, um desconhecido que mora na ilha de Guernsey, no Canal da Mancha, que foi ocupada pelos nazistas durante a guerra, decide conhecer a Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata, encontrando lá, outras possibilidades para sua vida.

 

 Juliet, já em Guernsey, irá descobrir os mistérios por trás dessa sociedade literária, criada para acobertar a posse e o consumo ilegal de porcos, mas que, através da leitura, salva suas vidas e suas almas. Vemos o poder da leitura aproximar pessoas, que em outras conjecturas, jamais o fariam, criar laços de amizade e amor, aproximar inimigos, garantir a sobrevivência e a sanidade do grupo e, por fim, mudar seus destinos. Juliet, enfrentando resistências, irá montar o quebra-cabeças da história da sociedade e de seus membros, sem perceber que ao mesmo tempo está mudando o seu.

 

A direção de Nike Newell, de Quatro Casamentos e Um Funeral, explora muito bem a beleza natural e as construções de época em Guernsey, trazendo-nos não somente belíssimos enquadramentos, mas também uma hábil direção de atores. Lily James faz um belo trabalho, provando que é muito mais do que uma linda atriz. Michiel Huisman, o Dawsey Adams, está ótimo no papel, e Glenn Powell transita muito bem entre o namorado da escritora e sua antagonista. O resto do elenco é proficiente, com boas atuações infanto-juvenis. A fotografia, a arte, a música e a edição são excelentes.

 

Uma bela trama histórica, uma bela trama romântica, e uma declaração de amor à leitura é o que nos apresenta Mike Newell com A Sociedade Literária e A Torta de Casca de Batata, que mostra que em qualquer época, em quaisquer circunstâncias, os livros trazem conhecimento, laços afetivos e, consequentemente, a redenção e a libertação. Vale assistir.

 

PS: Disponível no NetFlix

 

 

 

TRAILER 

 

 

Please reload

© 2018 por ACADEMIA DE CINEMA. Criado por Matheus Fonseca, todos os direitos reservados.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram-v051916_200

CURTA-NOS NO FACEBOOK