logo.png
  • Cardoso Júnior

Verdade e Justiça – Estônia - 2020


O candidato da Estônia que figurou entre os dez finalistas no Oscar 2019, é um épico rural deslumbrante tecnicamente e visualmente que, felizmente, não se utiliza da desgastada fôrma hollywoodiana de “fazer cinema” apostando claramente no formato do cinema nórdico para nos mostrar uma saga adaptada de maneira soberba de um romance histórico.

Então, quem não está familiarizado com o Cinema de Bergman, Susanne Bier, Lars von Trier ou mesmo Thomas Vinterbeg deve evitar ou partir pra conhecer já que a chance desse tipo de cinema purista acontecer por aqui é bastante pequena. Uma lástima.

Com um plot pequeno que se desenrola em 150 minutos, o diretor e adaptador Tanel Toom sedimenta com maestria a ambientação do período entre 1872 a 1896, para contar-nos a história de um incansável jovem colono obcecado por transformar sua decrépita fazenda em propriedade rentável para deixa-la como legado aos filhos sem, no entanto, perceber o altíssimo custo emocional imposto a toda família durante décadas.

O embate de anos entre a bondade, a honestidade e a devoção cristã contra a insidiosa e ardilosa perfídia do vizinho, funciona como trama secundária - mas tão presente e insistente - que acaba corrompendo o elemento religioso gerando ardis e antagonismos muita das vezes levados a tribunais transmutando uma personalidade a ponto de torna-la egoísta e tirânica.

Os elementos do masculino são muito bem estruturados pelos arquétipos do homem provedor, patrão de tudo, forte e invulnerável fechando um contraponto com o feminino onde as mulheres são tenazes no apoio amoroso, dóceis, gentis e contemporizadoras dos conflitos representados por interpretações tão introspectivas quanto impressionantes tamanha as sutilezas das atuações.

Tecnicamente, em #TruthandJustice, o excepcional design de produção é tão suntuoso que se torna uma experiência sensorial para o expectador que certamente será arrebatado pelo tradicional formato widescreen e a luxuriosa fotografia em tons de branco, verde, azul cobalto e camurça retratando paisagens de tirar o folego, tomadas aéreas belíssimas e interiores banhados à luz de velas.

Assim, #VerdadeeJustiça que questiona sobre os ciclos da natureza, da fé, má fé, das famílias e dos sofrimentos, merece ser visto pelos amantes da sétima arte.

"Qual é a vida de um homem, afinal? Apenas uma folha de grama antes da foice."



Ps1: Disponível em VOD