logo.png
  • Cardoso Júnior

Três Cristos – EUA – 2020


O diretor Jon Avnet ( Tomates Verdes Fritos), dirige e co-roteiriza este trabalho já dramatizado em muitos palcos a partir do livro “Os Três Cristos de Ypsilanti", sobre o médico que, através de sua humanística e revolucionária abordagem psiquiátrica vai contra os métodos brutais de tratar pacientes com esquizofrenia paranoicas com ações agressivas e violentas - como os eletrochoques na década de 1950 - revolucionando o tratamento das doenças mentais.


Dito assim, parece interessantíssimo o tema acrescido pelo estudo de caso dos três pacientes que se denominavam como os Cristos do título, e o respeitável elenco contribuem para atrair o espectador, mas na estrutura do filme há uma notável carência de riscos fazendo com que os ótimos personagens centrais sejam rasos e apenas pouco mais que caricaturas enquanto a banda sonora busca sentimentalizá-los num nível nada acadêmico.

A sensação ao final de #ThreeChrists é que tanto direção e roteiro empenharam-se ao máximo para compactar e aliviar o drama para torná-lo comercial e, portanto, de interesse público que, banaliza eventos enquanto enxerta outros ( os personagens de apoio nada acrescentam a história), apostando que o carisma de Richard Gere e das ótimas performances seria o suficiente para disfarçar o péssimo aproveitamento de uma boa história.

Ok que o trabalho de figurino é notável, mas como define bem a médica supervisora sobre o retratado “Seu trabalho é novo, brilhante e perigoso”, o mesmo não posso dizer dessa obra.

Que pena!



PS: Disponível em VOD