logo.png
  • Fábio Ruiz

La Belle Époque – França – 2019



Victor, desenhista, é um homem na terceira idade, estagnado e infeliz em suas vidas profissional e pessoal, onde seu casamento se desmantela, quando Antoine, um amigo de seu filho a quem ajudou na infância, oferece-lhe um presente, a realização de uma fantasia de retorno ao passado, em encenações baseadas em suas ilustrações do período onde ele conheceu Marianne, sua esposa, que, na fantasia, será vivida por Margot. O texto, de Nicolas Bedos, então brinca com questões de realidades versus fantasias, nos envolvimentos de Victor, Margot, Marianne e Antoine, deflagrando uma deliciosa e engraçada trama, com reviravoltas excelentes, mas que, infelizmente, termina como muitos filmes de romances.





A direção também de Bedos é excelente e consegue conciliar tanto os cenários das fantasias, quanto seus bastidores nas mesmas tomadas com inteligência e oportunidade. O quarteto protagonista, Daniel Auteuil, Fanny Ardand, Guilleume Canet e Doria Tillier está afinadíssimo com destaque para os dois últimos, e o elenco coadjuvante é excelente. A fotografia é excelente, diferenciando muito bem a realidade e as diferentes fantasias; música é muito oportuna e deliciosa; a arte é primorosa e a edição muito boa.





#LaBelleEpoque, traz um drama romântico original e inusitado, reinventando o gênero, tanto pela forma de contar, mas também pela idade de suas protagonistas. Vale muito assistir.






TRAILER