logo.png
  • Cardoso Júnior

Killing Eve - 3ª temporada – Reino Unido - 2020


E foi ao ar pela BBC América no último domingo o oitavo e último episódio da premiadíssima e prestigiada minissérie série que já deu o que falar nas temporadas de premiações e que conquistou enorme carinho do público. Essa terceira, mesmo com uma abordagem ligeiramente diferente das duas anteriores, funciona muito bem ainda que possa desagradar um pouco a quem esperasse que a dinâmica entre as protagonistas - o jogo do gato-e-rato - se mantivesse no mesmo patamar.

A abertura de novas visões e os aprofundamentos emocionais das personagens é parte da proposta da obra iniciada por Phoebe Waller-Bridge ( Fleabag), onde algumas showrunner, todas mulheres, ficariam a cargo de desenvolver uma nova temporada emprestando suas visões femininas a esse universo fictício da espionagem, montando um mecanismo que tem funcionado com grande sucesso mesmo que o original tenha sido pensado como uma obra fechada.


Logo no início, nos seis primeiros episódios, há uma sensação que a estória perdeu seu mote por conta da implantação de novos mistérios, da adição de personagens novas que geram outros núcleos e, isso, à primeira vista pode parecer desnecessário porém, é exatamente desse desvio narrativo que saem cenas e atuações incríveis com duelos verbais espetaculares que, por si só, já justificam a ideia enquanto as protagonistas, almas da minissérie, não se reconectam.

Ainda assim, é importante ressaltar que o nível do roteiro, da direção e de todos os aspectos técnicos mantiveram-se na mesma qualidade excepcional explorando as tiradas irônicas, a sagacidade e o humor negro nos e dos assassinatos, a impecabilidade dos figurinos, da competente trilha sonora propiciando shows interpretativos de Fiona Shaw e Jodie Comer enquanto Sandra Oh mantêm-se como o amalgama que sustenta esse suspense inovador e espetacular.

Ok que todo fã deseja e anseia pela definição da conturbada relação amorosa das protagonistas, mas é fácil perceber que o mergulho na origens da psicopatia de Villanelle e a preocupação em expandir seu emocional, em muito deva favorecer esse tão aguardado plot com Eve na já garantida quarta temporada. Oremos!



Ps1: Duas temporadas estão disponíveis no Globoplay.