logo.png
  • Cardoso Júnior

Collectiv – Romênia- 2020



O representante da Romênia no Oscar 2021, na categoria de Melhor Filme Internacional e Melhor Documentário, parte de uma história real – que parece ficção – que deixa, qualquer espectador sob violento impacto e nauseado diante de fatos que comprovam o quanto a corrupção governamental sistêmica é uma série de tentáculos insensíveis que atentam fisicamente contra a saúde de seus cidadãos, justamente aqueles que deveria proteger.

Com uma “pegada” jornalística-investigativa no estilo de “Spotlight” (comentado em 2/01/16), #Collectiv, parte da fatalidade de um incêndio na boate de mesmo nome (remetendo o brasileiro à tragédia da boate Kiss), que vitimou fatalmente 27 jovens e feriu mais de 180 sobreviventes, que serviu para alertar um pequeno jornalista sobre a sequencia de mortes posteriores de pacientes considerados “pouco queimados” e, portanto, de fácil recuperação.

Quando a equipe do jornal parte para investigar uma “talvez” negligencia hospitalar (em vários hospitais), a sequencia de descobertas são tão assombrosas quanto revoltantes, gerando não só enormes protestos da população bem como envolvimento de toda a mídia nacional, setores empresarias e governamentais expondo uma intrincada e poderosa rede de subornos, desvios e enriquecimento ilícitos no país.

O diretor Alexander Nanau mantêm a conhecida câmera de mão, configurando a estética de documentários também com seus ângulos muito fechados nos personagens e com maioria de tomadas realizadas em ambientes fechados em uma montagem rápida, deixando e levando o estupefato espectador para uma posição observador das descobertas e coadjuvante perplexo diante as sequências e desdobramentos de escândalos pós escândalos.

Infelizmente o roteiro subitamente muda de protagonista sem mais nem porque – Talvez para nos apresentar outra ótica de um novo ponto de vista – mas continua buscando, com seu ritmo paciente, (“leva-se décadas para mudar arraigados sistemas governamentais’), uma visão panorâmica do imoral sistema sociopolítico romeno (pode acontecer em qualquer lugar do mundo), configurando-se num verdadeiro documento histórico sobre uma cruzada corajosa contra o lento e dificílimo processo de erradicar o câncer da corrupção alastrado em corpos governamentais receptivos; afinal, “ A indiferença mata”



Ps1: “Não somos mais humanos”;

Ps2: “A maneira que um estado funciona pode esmagar pessoas”;

Ps3: Disponível na HBO;

TRAILER