logo.png
  • Fábio Ruiz

Caminhos da Memória – EUA – 2021



#Reminiscence é mais um suspense futurístico que se perde na indefinição estilística. Não é um filme de mistérios, per se, nem uma ficção científica, ou uma crítica ao tecido social, muito menos um tratado sobre a preservação do meio ambiente, apesar de carregar em sua espinha dorsal narrativas em todas essas direções, predominantemente as de suspense, em uma trama tão rocambolesca que a faz tangenciar o tedioso. O roteiro falha ao explorar ou explicar as viagens pelas veredas da recordação, fixando a ideia de lembranças visuais fidedignas da realidade, sem explorar nuances entre o que realmente aconteceu e o registro narrativo de seus proprietários, que levaria a trama por caminhos mais interessantes. Por fim, acaba por banalizar as dimensões abordadas, especialmente a social, com uma conclusão frívola sobre a derrubada dos poderosos pelos, supostamente, mais fracos.


A direção da estreante no cinema, Lisa Joy, é surpreendentemente boa, visto o enredamento de seu roteiro. O elenco é bom, destaque para Thandiwe Newton, que faz um ótimo trabalho com as complexidades e dualidades de sua personagem e Hugh Jackman e Rebecca Ferguson, apenas competentes. Os critérios técnicos são razoáveis, pois os efeitos especiais transitam entre o fraco e o muito bom.


#CaminhosDaMemoria é mais um filme costumeiro, como tantos outros vistos antes, cuja lembrança não perseverá nos caminhos da memória dos expectadores, reavivadas apenas em uma futura reprise em um canal televisivo.