logo.png
  • Cardoso Júnior

Buladó – Holanda -2021



O enviado da Holanda para disputar uma vaga no Oscar 2021, é uma interessante proposta que busca falar, através do realismo-fantástico, sobre a devastação cultural que o colonialismo / turismo provoca nas tradições milenares dos povos relegando suas crenças e credos a peças de museus para entretenimento de olhos estrangeiros.

Centrando sua estória numa pequena família no interior da ilha de Curaçao (colonizada pela Holanda), eis um daqueles exemplos que a direção aposta muito mais na captação de belas imagens e no trabalho de luz que propriamente explorar o ótimo potencial de uma trama onde o embate entre um pai racional e um avó espiritualista divide a cabeça da protagonista de 11 anos de idade que deseja encontrar um rumo certo para sua vida.

Esse trabalho sobre opostos, entre realidades e magias, e, necessariamente sobre amadurecimentos, em dado momento perde o foco ao transferi-lo para o personagem da avó e seu desejo místico de libertação que coloca a estrutura familiar e da trama em choque fazendo com que o interesse do público comece a falhar.

Embora a ideia de que só o amor liberta e une esteja na aura de toda a composição, #Buladó não alcança a magia e nem o vento necessário para levar o público a emocionar-se com a proposta.




TRAILER