top of page
logo.png
  • Foto do escritorCardoso Júnior

A Última Parada no Condado de Yuma – EUA – 2024

Analise nº 1.662

A estreia em longas metragens do diretor, roteirista e editor Francis Galluppi resulta numa sensacional peça centrada nos anos 80 realizada com baixo orçamento e, praticamente desenvolvida em um único ambiente e seus arredores com poucas personagens que vai da comédia de situações escalando para um suspense que vai do limbo ao purgatório terminando no inferno sem que consigamos desgrudar os olhos.

 

Partindo de uma situação simples, no deserto do Arizona, o inteligente roteiro jamais entra no terror, mas faz com que percebamos, desde o início, que algo está prestes a acontecer e, à medida cadenciada com que vai se desenvolvendo, quanto mais trágico se torna, maior é a diversão. #TheLastStopinYumaCounty é o tipo raro de filme que te faz rir do inusitado, te assusta com uma súbita explosão de violência e volta ao riso provocado pelos crescentes absurdos circunstanciais.


Conectando um posto de gasolina no meio do nada onde a gasolina acabou e os viajantes precisam esperar na lanchonete ao lado pelo caminhão de reabastecimento com um assalto a banco, #AÚltimaParadanoCondadodeYuma, para quem tem um conhecimento ínfimo de cinema, percebe que bebe nitidamente na fonte de Quentin Tarantino e alguns filmes dos irmãos Coen , sendo um thriller que se firma ímpar no gênero principalmente por não ter receio em revelar suas inspirações e fontes de referências, configurando-se  desde já um filme cult.

Com elenco sólido, repleto de personagens memoráveis, Galluppi consegue extrair deles nuances impressionantes captadas com seus close-UPS, onde a câmera também trabalha com takes aéreos, ângulos baixos, planos gerais e longas tomadas onde sua câmera, paulatinamente, foca e se aproxima de uma cena importante levando-nos a imergir nela, sempre com um perfeito domínio de ritmo cênico, acelerando e desacelerando nas horas certas.


O lado humano das personagens também é muito bem explorado tanto pelo roteiro como pela direção ao reunir pessoas muito distintas em uma sala; umas nitidamente malévolas enquanto outras benévolas que levarão algum tempo para atingirem esse ponto durante o embate mortal que se abate sobre elas quando as personagens atingem seus pontos sem retorno o que abre a estória para novas direções através de surpreendentes reviravoltas.


Então, eis uma estreia mais que promissora por trazer ao espectador uma experiência caótica, mas muito plausível e divertidamente macabra que encontra equilíbrio perfeito entre a comédia e a tragicomédia onde nunca, nunca mesmo, o público conseguirá prever o final.




Comentarios


bottom of page