logo.png
  • Cardoso Júnior

Joy- Áustria-2019

Atualizado: Ago 9


O candidato da Áustria a Melhor Filme Internacional no Oscar 2020, também vencedor de Melhor Filme no Festival de Cinema de Londres, entre outros prêmios, é outra produção a abordar o espinhoso tema do tráfico de seres humanos da áfrica para fins de exploração sexual na Europa. Sim, o assunto não é novo nas telonas, mas a relevância e a importância de mantê-lo sob denúncia e evidência é um dos deveres e papéis da Sétima Arte.

Assim, a diretora e roteirista iraniana Sudabeh Mortezai, apresenta-nos um trabalho dramático, de cunho ficcional, aproximando-se de um tom quase documental para contar de forma muito direta essa indigesta história de exploração humana gerada pela miséria e crendices, dois fortes elos que acorrentam seres esperançosos e generosos a monstros ávidos por subordiná-los às suas conveniências financeiras e prazerosas.

A fotografia sombria colabora em muito com a criação da atmosfera claustrofóbica prisional onde, mesmo com a liberdade de ir e vir, essas mulheres tornam-se prisioneiras de um esquema muito bem engendrado que o linear roteiro, fortificado pela enxuta edição, dispensa grandes diálogos e maiores ações em detrimento da pungência situacional.

TRAILER


Ps: Disponível na #Netflix

#Áustria #Análise #Oscar2020 #Europa