logo.png
  • Cardoso Júnior

Você Desapareceu - Dinamarca-2017

Atualizado: Ago 17


Finalmente a Dinamarca escolhe seu representante no Oscar 2018 com uma obra inusitada mais que interessante, diferente e provocativa que coloca as células nervosas do público em desvario. “You Disappear” consegue dentro de um drama doméstico doloroso falar sobre relacionamentos conturbados e ainda fazer desdobramento em filme de tribunal enquanto lança perguntas tão incômodas como gigantescas, misturando de forma muito hábil ciência e ficção em um exercício de análise da condição humana mais profunda explorando o terreno da neurociência de forma desafiadora. Baseado no Best Sellers mais vendido da Dinamarca, Du Forsvinder, não se faz um filme popular no sentido amplo do termo, pois enseja, a cada cena, a cada nova evolução, que o expectador mude sua ótica sobre os fatos, que pense e repense sobre a complexidade da trama podendo tornar-se até exaustivo em suas uma hora e cinquenta minutos, pese o genial e inovador plot. Com elenco nórdico respeitável e atuações preponderantes, incluindo o último trabalho do já saudoso Michael Nyqvist (da trilogia Millennium), “Du Forsvinder” ousa arriscar por uma construção narrativa e montagem intencionalmente fragmentada, indo e vindo, o que não chega a ser uma inovação, mas que nesse enredo, torna-se uma provocação muito inteligente e um repto às sinapses cerebrais. Com tantas questões clinico- filosóficas lançadas em meio à trama, eis uma estória que nos faz refletir e debater se somos mesmo culpados de nossas ações daninhas quando nosso cérebro está sofrendo alterações neurológicas, ou, talvez, seria o conhecido livre-arbítrio apenas uma questão pertinente ao sistema nervoso central? Será que somos capazes de confundirmos e acreditarmos piamente que nossos desejos são a realidade? Qual a fronteira química que a separa da ficção? Onde está a verdade? Que ninguém espere por respostas fáceis (ainda que a cena final seja surpreendentemente esclarecedora ), pois o intrigante e instigante “#YouDisappear” deixa-as a cargo dos neurônios de quem assiste.

TRAILER

#Europa #Análise #Oscar2018