logo.png
  • J.C.J

Um Instante de Amor-França-2016

Atualizado: há 7 dias


Adaptado do romance homônimo, lançado no Brasil em 29/junho/17 e com enorme destaque no Festival Varilux de Cinema Frances, o longa que entrou na disputa pela Palma de Ouro 2016, com várias indicações ao César, é um trabalho competente, mas bem distante de configurar-se como obra prima. Grandes méritos para uma produção basicamente composta por mulheres (direção, roteiro, protagonista), que mergulha no tema dos desejos femininos reprimidos que geram doenças para o corpo e alma ousando belas cenas sensuais e até mesmo sexuais entre Marion Cotillard e Louis Garrel, aproveitando para fazer uma investigação psicológica que vai prendendo o expectador, mas que, após duas horas, não leva a nenhum brilhantismo conclusivo. Embora a diretora e roteirista opte por um estilo clássico na narrativa, trilha e fotografia que funcionam muito bem, é no roteiro, alongado por demais perdendo-se da interessante premissa psicológica em prol de um romance que desperdiça o argumento inicial prejudicando todo andamento. Quem realmente segura essa overdose de informações desnecessárias e a descontinuidade da linearidade inicialmente proposta é Marion Cotillard em uma interpretação delicada que, em vários momentos, insere emoções tão poderosas quanto sutis. Por fim, já no terceiro ato, surge um plot twist com o intuito de resgatar o pico de interesse criando algumas surpresas, algo que funciona sim, mas já tarde demais para saltar para o surpreendente. Assim, “Mal De Pierres” perde grande oportunidade de abrir debate para assuntos relevantes para o sexo feminino e, ainda que bem realizado, fica apenas na galeria de mais um, outro dramance mediano do cinema.

TRAILER



#analise #Análise #Europa

0 visualização