logo.png
  • Cardoso Júnior

Eu Sou Ingrid Bergman – Suécia-2015

Atualizado: Ago 17


Eis um documentário para verdadeiros amantes do cinema de todos os tempos ao focar, não somente na carreira de um dos maiores ícones da Sétima Arte, mas por sua pegada intimista e tratamento em primeira pessoa (fugindo do padrão documental comum), fazendo com que a retratada seja a própria narradora de sua jornada de vida.

O recurso de utilizar materiais inéditos e pessoais da atriz como cartas e filmes em 8mm sobre vários estágios de sua vida, torna-se mais interessante na medida em que opta por apenas transitar pela ascensão e carreira cinematográfica, focando muito mais na mulher Bergman, em seu papel de garota irrequieta com grande dificuldade de fixar raízes em qualquer lugar do mundo, seu espírito aventureiro indomável, seu lado como mãe moderna, seus amores e, principalmente, como uma mulher corajosa e disposta a enfrentar e ser feliz, independente das severas normas morais que limitavam as mulheres nos anos 1940 e 1950.

Eu Sou Ingrid Bergman, é, antes de tudo, um retrato sobre uma mulher indomável e independente que quebrou paradigmas sociais que hoje podem nos parecer tolos, mas que em muito contribuiu para a libertação das mulheres na sociedade atual.

Este foco, intercalado com seus grandes trabalhos cinematográficos ao redor do mundo, sempre buscando o aperfeiçoamento de sua carreira, o transforma em um trabalho genuíno que soma na medida em que apresenta depoimentos de seus filhos e de pessoas ligadas a ela.

Com um ritmo perfeito, buscando a linearidade de uma vida tão mundialmente famosa quanto controversa, peca na trilha sonora que busca um tom meloso demais para percorrer a narrativa, corroborada pela doce voz de Alicia Vinkander em trechos pontuais da narrativa.

Por certo, fatos mais conhecidos de sua vida como: o mundialmente conhecido “adultério”, sua opção por distanciar-se dos filhos em detrimento da carreira, sem jamais abandoná-los e, os vigorosos boicotes de uma Hollywood conservadora, estão presentes, mas não caem na armadilha de se tornarem o foco principal da vida de uma grandiosa estrela e de uma mulher a frente de seu tempo.

Eu Sou Ingrid Bergman é um estudo profundo sobre a alma de um ícone do cinema que deve ser reverenciado tão somente por quem ama essa arte e por todas as mulheres do mundo que devem a ela a possibilidade de rupturas com sistemas opressores machistas.

TRAILER

#Europa #Análise