logo.png
  • Cardoso Júnior

A Piscina- França – 1969.

Atualizado: 15 de Ago de 2020


Saindo da nossa linha editorial de procurar estar sempre no presente do indicativo, fomos dar uma espiada no pretérito mais que perfeito... Com roteiro que pretende transitar entre o suspense psicológico e investigação criminal, peca acintosamente pela falta de ritmo, pelos poucos diálogos, investe em um aprofundamento raso dos personagens, busca um tipo de rebuscamento autoral que leva à uma grande falta de entendimento dos contextos. Fica claro que a direção estava muito mais preocupada em trabalhar sua câmera contrastando luminosidades em rostos e corpos de seu belíssimo elenco que propriamente desenvolver um thriller. Por certo há que reconhecer que, para a época, esses takes extremamente quentes e sensualismos, foram mais que ousados, talvez um escândalo mesmo, mas a falta de consistência da trama acaba em grande decepção. A decepção só não é menor pelo conceito levado ao extremo de enquadrar / fotografar a beleza em seu expoente máximo configurada pela química entre Alain Delon, Romy Schneider e Jane Birkin em belos cenários, corpos bronzeados e na profusão de olhos azuis. Por fim, “La piscine” é um grande exercício de interpretação de atores que pode extasiar pela beleza e cansar por tudo o mais. Aqui, ficamos de dedos cruzados para que o futuro do presente nos mostre algo muito mais...interessante e “A Bigger Splash" (Itália) com Tilda Swinton e Matthias Schoenaerts venha para revitalizar essa estória.

TRAILER

#Europa #Análise