• Academia de Cinema

Mais Perto da Lua - Romênia - 2015


Baseado em fatos reais (disponíveis, segundo os créditos finais), e com uma premissa altamente relevante no contexto histórico-político-mundial, essa refilmagem da refilmagem de um filme, é algo delicioso de se assistir pela ironia, quase deboche com que trata e retrata o sistema comunista em Bucareste-1959. Com um script genial, dividido em oito capítulos, sobre o idealismo de um grupo disposto às máximas conseqüências apenas para expor ao ridículo um regime corrupto e anti-semita que, por sua vez, na qualidade de Estado opressor, resolve revidar provando sua “eficiência” não só condenando e executando, mas criando uma propaganda fílmica com o intuito de auto-afirmação de poder, é coisa rara de se ver por conta da originalidade. Ainda que o elenco seja composto basicamente de não Romenos e o idioma seja o Inglês, a sátira burlesca se sobrepõe com toques de humor inteligente que facilmente arrancam gargalhadas diante do ineditismo da proposta e do surrealismo das situações. A parte técnica também merece atenção pelo esmero e reconstituição de época nos figurinos e trilha embora o cenário seja algo “limitado” em quantidade de locações. Somado a isto, Vera Farmiga dá um verdadeiro show de competência artística no núcleo comandado por Mark Strong. "Closer to the Moon" é o tipo de filme raro, que terá pouquíssima divulgação e, certamente agradará a poucos, mas é inteligentíssimo na proposta, debochado, irônico e delicado ao mesmo tempo. Certamente você encontrará nele diálogos inusitados e uma boa dose de metáforas e alegorias significativas como a cena final onde a dança bem coreografada de um Bar Mitzvá que insere um novo ser na sociedade faz contraponto com aqueles que são eliminados. Por fim, "Closer to the Mooon", é um elogio ao cinema, do começo ao fim, recheado de gostosas ironias aos sistemas autoritários. "Em uma estação oficial, mesmo Brahms torna-se propaganda partidária."

TRAILER

#Europa #Análise

3 visualizações