logo.png
  • Cardoso Júnior

Bullhead- Bélgica -2011

Atualizado: Ago 15


Este indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro, passou despercebido por nós na ocasião, muito provavelmente por conta no nosso favoritismo pelo imbatível “A separação”. Mas, como gente maluca por cinema tem manias, estamos seguindo e apreciando todos os trabalhos feitos pelo gigantesco Matthias Schoenaerts, então, fomos assistir. Sem dúvida alguma mereceu a indicação pela excelência técnica, pelo tom “noir”, pela câmera ávida em close-ups, pela fotografia claustrofóbica e, pela soberba interpretação do Matthias embora, o roteiro, escape de um tema universal preferindo algo bastante regional e, ainda, deixe alguns “furos” de continuidade. Baseado em fatos reais, a premissa narrativa transita sobre a máfia dos hormônios ilegais a que todo gado é submetido para maior rendimento beirando uma grave denúncia conjugada com uma triste estória, uma real tragédia de vida. Todos estes elementos seriam o bastante para tornar este trabalho mais que interessante, quase urgente, não fosse o desenvolvimento um tanto quanto confuso da trama. No fim, no que “Rundskop” brilha e chega a assustar é na criação de um dos personagens mais fascinantes do cinema, uma fera da qual nos apiedamos e numa das mais extraordinárias interpretações da sétima arte. “Há coisas que acontecem na vida que fazem com que ninguém sequer ouse falar sobre o assunto, mas, de algum jeito, virá à tona, e você sempre estará ferrado”.

TRAILER

#Europa #Análise #Oscar2012