logo.png
  • Cardoso Júnior

Mad Max:Estrada da Fúria- Austrália- 2015.

Atualizado: Ago 14


Por ossos do ofício (nem sempre ossos fáceis de roer), tivemos que assistir Mad Max, até porque assistimos os três anteriores em seus devidos tempos e achamos filmes simpáticos.Segue o que achamos deste:

Se você é mecânico ou amante de rodas, pneus de todos os tamanhos, volantes de todos os tipos, engrenagens variadas, pedais, aceleradores, freios, tanques de gasolina, mangueiras, canos de escapamento, interruptores, cabos, correntes, fios elétricos, carrocerias variadas, pára-brisas, caixas de marchas e demais componentes de carros, vai gostar muito dos abundantes closes neles. Caso goste também de cenas absurdamente inverossímeis, lutas, personagens bizarros, explosões, alta velocidade, também vai apreciar. Caso também seja fã da complexidade inovativa de um vilão bem mau perseguindo uma mocinha do bem em busca de redenção e assistir sua penosa vitória ascendente, será um prato cheio. Fora isso, há que admitir e reconhecer que, toda parte técnica é sim, espetacularmente bem realizada e merece todos os créditos e prêmios. Interessante notar que em algumas cenas, exitem carros abre-alas, bem no estilo Escolas de samba e, em alguns momentos, é possível ver uma ala com coreografia malabaresca bem no estilo Beija Flor de Nilópolis. No mais...Bom, não tem mais....é apenas entretenimento do tipo que da pra levantar, ir ao banheiro com calma, voltar e não ter perdido nada de relevante. Mad Max- Estrada da fúria, usa e abusa de tudo que é feio, bem feio mesmo! Só! Deixamos uma recomendação para quem aprecia o estilo perseguição de carros: Assistam “Duel” de 1971, e divirtam-se com cinema autêntico.

TRAILER

#Austrália #analise #Oscar2016